BLOG

Coluna do Eduardo Seite

por Eduardo Seiti é instrutor de design de balões e proprietário da ESBDE, em São Paulo.

Onde está o valor da decoração com balões

O que enxergamos na decoração com balões não é o mesmo que o nosso cliente enxerga

Qual decorador não terminou a sua decoração e deparou com muitos defeitos: Balões tortos, muitos opacos, cores destoantes, estrutura aparecendo, e por algum motivo quando o seu cliente contempla a decoração ama tudo que foi apresentado? A única coisa que você pensou em dizer ao cliente era – Me desculpa. Parece que o que você viu não é a mesma coisa que o seu cliente viu. 
Os valores dão diferentes. Afinal, quais são os valores que o decorador e o cliente atribuem à decoração com balões?
Um bom profissional tem mais conhecimento do seu ofício, sente prazer no bom resultado do seu trabalho, tende a buscar uma espécie de perfeição. O cliente busca um bom serviço, um bom atendimento, pontualidade, um preço justo e no caso da decoração de festas enxerga na hora de comprar uma série de utilidade para cada item adquirido. A maior parte dos clientes não tem a capacidade de entender como foi feito, qual perfeito o profissional busca. 
Enquanto o decorador conhece os balões, as texturas com brilhos diferentes, os formatos diferentes de cada marca de balão, a importância da regra da estrutura oculta, a difícil escolha entre os produtos mais caros e sofisticados; a maior parte dos clientes não consegue distinguir os tipos de balões, o quanto deveriam brilhar e nem fazem ideia que uma parte da estrutura deveria ou não estar à vista. Para muitos dos nossos queridos clientes, uma decoração feita com balões redondos (11”, 10”, 9”, 5”) não é diferente de uma decoração feita com balões de combate (7”, 6,5”). O nosso cliente não tem culpa, eles não foram treinados para entender estes atributos.
Do ponto de vista filosófico o decorador tende a dar um valor especial à beleza da sua criação, ao passo que o ciente tende a dar um valor maior à sua utilidade. Como exemplo, um decorador monta um arco e valoriza os elementos das folhas feitas com 260 com uma técnica difícil e demorada. O cliente não consegue ver esta dificuldade, dando um valor para a função do arco, onde os seus convidados podem passar por baixo logo na entrada da festa. Para um decorador com esta preocupação provavelmente pode estar focando no valor que os outros decoradores podem dar à sua montagem, principalmente quando for publicar no Instagram, Whatsapp ou Facebook.
Como a decoração com balões é um serviço, o cliente dá extremo valor ao seu comportamento e dos seus ajudantes. Chegar na hora combinada é uma obrigação, não um favor. Não tem nada mais irritante para o cliente ficar ligando perguntando quando vai chegar preocupado como o horário, ficando pior quando o decorador dá desculpas ao invés de chegar na hora. Usar mesas e banheiros sem autorização pode ser considerado rude. Conversar assuntos polêmicos em voz alta pode incomodar o cliente ou o pessoal do espaço da festa. Ser cortês é recomendado, palavras como “me desculpe”, “por favor”, e “com licença” podem fazer muita diferença no momento de  retratar o seu caráter. Estes valores podem e devem fazer parte da sua empresa.
Apesar de preferir projetar decoração com balões que tem uma beleza por si só, sem retratar algo da natureza ou feito pelo homem, a grande tendência da decoração é copiar uma imagem do nosso mundo real. Quando fazemos esta cópia, o decorador pode escolher dentre duas formas de fazer esta retratação. A primeira consiste em usar os balões como uma caricatura, usando muito a cor, reforçando um atributo e colocando detalhes que não existe no mundo real, mas traz beleza e até mesmo certa simpatia. Esta forma tende a produzir uma criação mais fácil e rápida de executar. A segunda consiste em tentar reproduzir em balão exatamente como é no mundo real. Com uma técnica apurada frequentemente demorada é possível até aproximar e obter bons resultados, entretanto tem o grande risco da sua criação ficar desfigurada, reconhecida que tem uma técnica sofisticada pelos seus pares, mas não pelo cliente.
É evidente que tem cliente que entende bem as qualidades de uma decoração com balões, entretanto ainda é uma minoria, escrevo aqui sob a ótica do senso comum. O uso balanceado de técnicas complexas pode ser um bom caminho para reduzir seus custos. O conhecimento dos valores do seu cliente pode ajuda-lo a receber de nós um serviço melhor. Perceber o quanto usamos dos nossos recursos como tempo e treinamento apenas para satisfazer o ego no momento de publicar os nossos serviços na rede social pode ajudar a focar os valores dos nossos produtos. Este texto ajuda a esclarecer o bordão “O cliente da minha cidade não valoriza o meu trabalho”.

 

 

Clique aqui e veja mais fotos e leia a Revista completa!