BLOG

ABB em Libras

ABB em Libras

Evento promete acessibilidade a surdos em 2018

Se preparar novos profissionais para o mercado já é um desafio, imagine fazer isso para um público quase invisível na sociedade: os surdos. No Brasil, são 2 milhões de pessoas que convivem com a deficiência auditiva severa - ou seja, que têm grande dificuldade ou não escutam nada. A metade dessa população tem mais de 19 anos e muita dificuldade de se inserir no mercado, seja por preconceito ou por falta de capacitação. 
“A iniciativa (do ABB – Arte Balões Bahia) de dar oportunidade de conhecimento para esse público é um passo em direção à inclusão”, diz Hortênsia Riccio, organizadora do evento. “A área de balões nunca antes foi aberta para surdos. Conversei com alguns estão maravilhados!”, diz Dandy Silva, intérprete há 14 anos, que já foi aluna da Hortênsia e foi a chave que faltava para colocar essa ideia na ativa. Há surdos que usam a língua de sinais para se comunicar, mas há também quem consegue falar oralmente e ler os lábios, e ainda os que se comunicam usando a língua portuguesa e a Libras - Língua Brasileira de Sinais, que diferente do que muitas pessoas pensam, não é universal, mas uma língua brasileira. Para evitar o excesso de datilologia - utilizada para soletrar palavras que não possuam sinais – a intérprete irá criar sinais específicos junto a um grupo de surdos. 
A comunicação é uma grande, talvez a maior, dificuldade do surdo, mas não é a única. 
Sinalização adequada em espaços públicos e impressos publicitários; alarmes ou chamada de senhas visuais ou vibratórios; uso de SMS para pedidos comerciais, como farmácias e pizzarias; e diversos outros cuidados fazem parte de um mundo mais inclusivo ao deficiente auditivo. “Para eventos é muito importante a localização do intérprete de Libras, pois o surdo deve conseguir visualizá-lo ao mesmo tempo que vê a aula”, fala Dandy. “O intérprete deve vestir cor neutra e evitar acessórios e maquiagem para não desviar atenção”, continua. 
 “O preconceito e o mito da incapacidade da pessoa com deficiência, por mais combatido que seja, ainda é realidade em muitos setores”, acredita Hortênsia. Por isso mesmo, a abertura de espaço para surdos em eventos profissionalizantes, como o ABB, é fundamental para o convívio entre os deficientes e os demais profissionais e a quebra desse paradigma. 
A capacitação do profissional e a valorização do uso de balões profissionais também constroem a imagem do evento, que ocorre de 22 a 25 de maio de 2018, no Hotel Bahia Oton Palace, em Salvador (BA). Mas a marca registrada nesses nove anos é o modo acolhedor como todos são recebidos e a transformação reconhecida por boa parte dos participantes. “Nosso trabalho era muito diferente. Tínhamos muitas perguntas sem respostas e os instrutores do ABB nos ajudaram bastante na nossa nova organização, sem falar de Hortênsia Riccio - uma mulher incomparável que amamos muito, e sem a qual, não estaríamos ainda com a nossa empresa”, conta Alciliana Andrade Campos, sócia das irmãs Alcione e Clarisse, na empresa Ar’Dko Balloons, de Rémire-Montjoly, na Guiana Francesa. 
Para a edição 2018, o ABB já conta com cinco bolsas integrais para surdos; sete instrutores confirmados, e 40 inscritos. “É um sucesso!, Imagine, um ano antes de acontecer já ter pessoas inscritas!”, comemora Hortênsia, que conta que a expectativa é a de que participem 150 pessoas.
Um dos instrutores mais concorridos e que acaba de ser confirmado é Eduardo Seiti (SP), que vai apresentar aos alunos cálculos inéditos de balões e ferramentas inéditas de projeto. Diego Mota (PE), Rosangela Santos (BA), Patrícia Godoy (PR), Alexandra Aranha (AM), Tiago Miguel (SC), Luciano Cokado (SP) são os nomes confirmados para a próxima edição, todos instrutores que vêm ganhando destaque em congressos e seminários por todo o Brasil. “No 7º ABB fizemos o um concurso de camisas entre os inscritos: o vencedor tinha sua arte e o logo de sua empresa impressos nas camisetas que todos usam na festa”, lembra Hortênsia. “Vamos repetir a brincadeira em 2018”, anuncia. 
Outra experiência que irá se repetir em 2018, além da festa de boas vindas e do coquetel de encerramento, é a CABB - Certificação Artes Balões Bahia. No evento de 2017, 25 empresas participaram e conquistaram o título. “A certificação valida nossa empresa no ramo dos balões e assegura nossos clientes da nossa competência e experiência”, acredita Alciliana. Além da empresa da Guiana Francesa, também foram certificadas empresas de Pernambuco, Alagoas, Mato Grosso, Bahia, São Paulo e Paraná. 
 
ABB 2017
“Organizar o ABB é um desafio”, conta Hortênsia. “Contar com a confiança de empresas fortes em nosso segmento é um grande trunfo”, agradece. A organizadora acredita que um evento multimarca fortalece o seminário e mais empresas ganham visibilidade. Em 2017 caminhamos na contramão da crise e conseguimos atingir nosso objetivo. “O Arte Balões Bahia tem sido um divisor de águas em muitas vidas, e isto não é dito por mim, mas por quem participa, e esta é a minha verdadeira motivação: transformar vidas e ajudar pessoas”, fala.
O ABB 2017 reuniu 110 pessoas, de 24 a 26 de abril, em Salvador (BA). Muitas trouxeram a família junto. “É evento muito alegre, o pessoal participa muito, o clima é diferente, mais família, lúdico... acho que isso faz parte do tratamento que ela (Hortênsia) dá. Os alunos a chamam de ‘mainha’!”, explica Gabriel Corrêa, supervisor de marketing, da Art-Latex, uma das patrocinadoras. “O evento tem um astral muito grande, é bem organizado e possui uma ótima interação entre aluno e professor”, concorda Guilherme Chueiri de Souza, gerente nacional de vendas e marketing, do Balões São Roque, outra patrocinadora. Outro ponto forte do evento destacado é que atrai alunos de todas as regiões do país. “Aproveitamos para mostrar a todos os alunos os principais atributos de nossa marca, além de divulgarmos nossos lançamentos”, comemora Souza.
Hortênsia se orgulha, segundo suas próprias palavras, pelo ABB ser o único evento com instrutores de todas as regiões do Brasil. O já tradicional lançamento de novos instrutores durante o evento se realizou mais uma vez, com Érika Oliveira (RJ), com o tema Festa dos Sonhos, patrocinada pela Balões São Roque; e Mariana Vieira (MG), com o tema Candy Crush, pela Art-Latex. 
Diversidade de assuntos, técnicas e temas em aulas teóricas e práticas foi destaque nas aulas. Fabiana Vale (SP) levou o tema Alegria e Magia das Corujas; Diego Motta (PE) fez um Jardim Gigante; e Alexandra Aranha (AM), pela segunda vez como instrutora no ABB, surpreendeu com o temaThe Emoji Movie. Todos representando a Balões São Roque, que também levou Elaine Oliveira, de Brasília (DF), para falar sobre o Programa de Excelência para profissionais de arte com balões.
Apoiadora desde o início, a Art-Latex levou, além da Mariana Vieira, Maurício Riquelme e sua Fantástica Fábrica de Chocolate; Wesley Fabio, com Miraculos; e Rodrigo Seabra surpreendeu com o tema Egito. “Todos os instrutores apresentaram aulas de alto nível, mas essa se destacou por ser um tema original, adulto e mesmo pelo uso das cores – rosa e dourado”, aprova Corrêa.
 “Apresentamos nossa linha de balões metalizados e de látex com o instrutor Wilson Sawaki, e toda a linha de produtos para festas com a instrutora Rivânia Hilel”, conta Kleber Pupo, gerente de Unidade de Negócio da Regina Festas. Os dois instrutores também representaram a Riberball – Pic Pic, além de Rui Palacio, Eliza Tomita e Etsu Flores. “É sempre bom ter oportunidade de transmitir conhecimento aos alunos, o ABB possibilitou transmitir nossa experiência e confiança no trabalho com balões”, diz Wilson Sawaki. “Hoje, os seminários de Arte com Balões se preocupam em capacitar os participantes em todos os quesitos: do planejamento e organização à execução final do projeto”, alegra-se Rivânia, que falou sobre Mesas Decoradas – estilos e tendências.


*Fonte: IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, 2010, in ADAP - Associação de Deficientes Auditivos, Pais, Amigos e Usuários de Implante Coclear. http://www.adap.org.br/site/index.php/artigos/20-deficiencia-auditiva-atinge-9-7-milhoes-de-brasileiros. Acesso em 1/06/17

 

Clique aqui e leia a Revista completa!